É xa usuario do club?
 
MÁIS INFORMACIÓN
Podes atopalo en:
Queres pedir un exemplar?
Solicitar >
SOLICITUDE DE PRÉSTAMO DE LIBRO
Escolla a biblioteca onde prefire solicitar o libro


O Cavaleiro da Dinamarca
Sophia de Mello Breyner Andresen
Editorial: 
Ano:  0000
Este libro fala sobre unha gran viaxe dun Xinete que vivía coa súa familia nunha casa no medio dunha floresta, no Norte de Dinamarca. Fronte á casa avistávase o maior abeto da floresta. Nun Nadal, o Xinete informou a súa familia, aos amigos e aos criados de que no Nadal seguinte non quedaría con eles porque iría pasalo a Belén, na cova onde nacera Xesús. Con todo, tamén prometeu que no Nadal seguinte volvería para estar coa familia. Ninguén se opuso porque entendían que non se lle pode negar a oportunidade dun peregrino de partir. Partiu entón na Primavera.......
Obradoiros propostos
Non hai obradoiros propostos
Obradoiros en curso
Obradoiro-Debate sobre a lectura-O Cavaleiro da Dinamarca
Obradoiros pechados
Non hai obradoiros pechados
O/A AUTOR/A
Biografía
Sophia de Mello Breyner Andresen  (Porto)
Sophia de Mello Breyner Andresen é, sem sombra de dúvida, um dos maiores poetas portugueses contemporâneos – um nome que se transformou, em sinónimo de Poesia e de musa da própria poesia. Sophia nasceu no Porto, em 1919, no seio de uma família aristocrática. A sua infância e adolescência decorrem entre o Porto e Lisboa, onde cursou Filologia Clássica. Após o casamento com o advogado e jornalista Francisco Sousa Tavares, fixa-se em Lisboa, passando a dividir a sua actividade entre a poesia e a actividade cívica, tendo sido notória activista contra o regime de Salazar. A sua poesia ergue-se como a voz da liberdade, especialmente em O Livro Sexto. Foi sócia fundadora da Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos e a sua intervenção cívica foi uma constante, mesmo após a Revolução de Abril de 1974, tendo sido Deputada à Assembleia Constituinte pelo Partido Socialista. Profundamente mediterrânica na sua tonalidade, a linguagem poética de Sophia de Mello Breyner denota, para além da sólida cultura clássica da autora e da sua paixão pela cultura grega, a pureza e a transparência da palavra na sua relação da linguagem com as coisas, a luminosidade de um mundo onde intelecto e ritmo se harmonizam na forma melódica, perfeita, do poema. Luz, verticalidade e magia estão, aliás, sempre presentes na obra de Sophia, quer na obra poética, quer na importante obra para crianças que, inicialmente destinada aos seus cinco filhos, rapidamente se transformou em clássico da literatura infantil em Portugal, marcando sucessivas gerações de jovens leitores com títulos como , O Rapaz de Bronze, A Fada Oriana ou A Menina do Mar. Sophia é ainda tradutora para português de obras de Claudel, Dante, Shakespeare e Eurípedes, tendo sido condecorada pelo governo italiano pela sua tradução de O Purgatório.
Bibliografía
Poesia Poesia, Coimbra, ed. da autora (3ª ed., Lisboa, Ática, 1975), 1944. Dia do Mar, Lisboa, Ática, 1947. Coral, Porto, Livraria Simões Lopes (2ª ed., ilustrada por Escada, Lisboa, Portugália,1968, 3ª ed., s.l., s.d.), 1950. Tempo Dividido, Lisboa, Guimarães Editores, 1954. Mar Novo, Lisboa, Guimarães Editores, 1958. Cristo Cigano, ilustrado por Júlio Pomar, s.l., Minotauro (2ª ed., Lisboa, Moraes, 1978), 1961. Livro Sexto, s.l. [Lisboa], Salamandra, 1962. Geografia, Lisboa, Ática (3ª ed., Lisboa, Salamandra), 1967. Antologia, Lisboa, Portugália (5ª ed., aumentada com prefácio de Eduardo Lourenço, Porto, Figueinhas), 1968. Grades - Antologia de Poemas de Resistência, Lisboa, Publicações D. Quixote, 1970. 11 Poemas, Lisboa, Movimento, 1971. Dual, Lisboa, Moraes Editores (3ª ed., Lisboa, Salamandra, 1986), 1972. O Nome das Coisas, Lisboa, Moraes Editores (2ª ed., Lisboa, Salamandra, 1986), 1977. Poemas Escolhidos, Lisboa, Círculo de Leitores, 1981. Navegações, Lisboa, Imprensa Nacional Casa da Moeda (2ª ed., Lisboa, Caminho), 1983. No Tempo e Mar Novo, 2ª ed., revista e ampliada, Lisboa, Salamandra, 1985. Antologia, Porto, Figueirinhas, 1985. Ilhas, Lisboa, Texto Editora, 1989. Obra Poética, vol. I, Lisboa, Caminho, 1990. Obra Poética, vol. II, Lisboa, Caminho, 1991. Obra Poética, vol. III, Lisboa, Caminho, 1991. Obra Poética I, Lisboa, Círculo de Leitores, 1992. Obra Poética II, Lisboa, Círculo de Leitores, 1992. Musa, Lisboa, Caminho, 1994. Signo - Escolha de Poemas, Lisboa, Casa Pessoa, 1994. O Búzio de Cós e Outros Poemas, Lisboa, Caminho, 1997. Prosa Rapaz de Bronze (O), Lisboa, Minotauro (2ª ed., Lisboa, Moraes, 1978), 1956. Menina do Mar (A), Porto, Figueirinhas (17ªed., 1984), 1958. A Fada Oriana, Porto, Figueirinhas (l2ªed., 1983), 1958. Noite de Natal, Lisboa, Ática, 1960. Contos Exemplares, Lisboa, Moraes (23ªed., prefácio de António Ferreira Gomes, Porto, Figueirinhas, 1990), 1962. Cavaleiro da Dinamarca (O), Porto, Figueirinhas (21ª ed., 1984), 1964. Os Três Reis do Oriente, desenhos de Manuel Lapa, s.l., Estúdio Cor, 1965. Floresta (A), Porto, Figueirinhas (16ª ed., 1983), 1968. Tesouro, Porto, Figueirinhas, 1978. Contos: 1979, ilust. de Vieira da Silva, Lisboa, Galeria São Mamede, 1979. Histórias da Terra e do Mar, Lisboa, Salamandra (3ªed., Lisboa, Texto Editora, 1989), 1984. Árvore (A), Porto, Figueirinhas (3ª ed., 1987), 1985. Era Uma Vez Uma Praia Lusitana, Lisboa, Expo 98, 1997. Ensaio A poesia de Cecíla Meireles, Cidade Nova, 4ª série, nº 6, Novembro, 1956. Poesia e Realidade, Colóquio - Revista de Artes e Letras, nº 8, 1960. Hölderlin ou o lugar do poeta, Jornal de Comércio, 30 de Dez., 1967. O Nu na Antiguidade Clássica, (col. O Nu e a Arte) Lisboa, Estúdios Cor (2ª ed., Lisboa, Portugália; 3ªed. [revista], Lisboa, Caminho, 1992), 1975. Torga, os homens e a terra, Boletim da Secretaria de Estado da Cultura, Dezembro, 1976. Luís de Camões. Ensombramentos e Descobrimentos, Cadernos de Literatura, nº 5, 1980. A escrita (poesia), Estudos Italianos em Portugal, nº 45/47, 1982/1984.
Outros libros no Club
2017 Fundación CEER. Todos os dereitos reservados. Aviso Legal >