Oficina CEER
 21-11-2012
RUI L. REIS, DA UMINHO, É O CIENTISTA PORTUGUÊS COM MAIS PUBLICAÇÕES

Rui L. Reis, diretor do Grupo 3B´s da Universidade do Minho, tornou-se, aos 45 anos, o melhor cientista português de sempre em número de publicações científicas. Tem já 642 trabalhos listados no ISI Web of Knowledge (Thomson-Reuters), a principal base de dados científica do mundo, dos quais 450 em revistas internacionais e 41 artigos de revisão. Somam-se mais de 200 capítulos de livros e quase 1500 comunicações em conferências apresentadas nos cinco continentes, incluindo 175 como palestrante convidado ou plenário.

É ainda dos investigadores mundiais que mais publica, um dos mais citados por outros cientistas (quase 9000 vezes) e dos que tem maior “fator h” (49) na sua área científica – biomateriais, engenharia de tecidos, medicina regenerativa e células estaminais. Rui L. Reis fez toda a formação em Portugal, tendo-se licenciando e iniciado o percurso académico na UPorto e depois doutorando-se na UMinho, onde desenvolveu toda a sua carreira (início em 1992 e fundação do Grupo 3B´s com o atual reitor António M. Cunha em 1998). Aliás, além de colaborar com grupos de excelência e multinacionais nas mais diversas áreas geográficas, coordena projetos europeus de grande dimensão, diversos do FP7, como o POLARIS, o ComplexiTE, o Find & Bind, o SPECIAL, e outros internacionais como o IBEROMARE e o MARMED. É o principal responsável pela gestão de projetos de investigação, num total de 28.5 milhões de euros (dos quais 14.5 são financiamento para a UMinho), tornando-o um dos portugueses que mais financiamentos internacionais obtém em condições altamente competitivas.

“Ter chegado com apenas 45 anos a este patamar é certamente algo que me orgulha a mim, à minha equipa e a toda a UMinho. Foi preciso trabalhar muito, ter estratégia, ser ambicioso, construir uma equipa internacional coesa e lutadora, combater muitas contrariedades, poderes instalados e esquecer a falta de reconhecimento nacional. Muitas vezes quase prescindir de qualquer vida social! Mas ter conseguido construir um grupo e uma infraestrutura única, respeitada em todo o mundo a partir de quase nada, numa zona que não é bem um grande centro (em todos os sentidos da palavra), e com base numa formação totalmente conseguida em Universidades portuguesas, é algo que só nos pode orgulhar”, referiu Rui L. Reis.

“Nunca o conseguiríamos sem o enorme apoio da UMinho e seus responsáveis e de agentes locais. Mas há certamente muito mais a fazer, muitos maiores projetos a conseguir, muitas mais e melhores publicações a produzir e, claro, procuraremos sempre criar valor económico e ter um papel ativo na UMinho e na região, mas sempre com uma postura virada para o mundo. Esse é o nosso campeonato! Um dia ganharemos tanto a nível internacional que havemos de ser reconhecidos, como já devíamos ser há muito tempo, pelas entidades e agentes políticos nacionais. Mas mesmo se não o formos nada nos desviará do nosso rumo e continuaremos a ganhar!”, sublinhou.

Multipremiado em todo o mundo.

O professor catedrático do Departamento de Engenharia de Polímeros (DEP) da Escola de Engenharia da UMinho é diretor do Grupo de Investigação 3B´s - Biomateriais, Biodegradáveis e Biomiméticos da UMinho, presidente do Laboratório Associado ICVS/3B´s, CEO do Instituto Europeu de Excelência em Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa (tem 22 filiais em 13 países) e presidente e CSO da spin-off Stemmatters. Estas entidades, exceto o DEP, têm sede no AvePark, Caldas das Taipas, Guimarães.

Rui L. Reis é também presidente para a Europa da Sociedade Mundial Tissue Engineering and Regenerative Medicine International Society (TERMIS), presidente da Sociedade Portuguesa de Células Estaminais e Terapia Celular. Tem ainda uma atividade industrial e de extensão relevante, colaborando com diversas empresas internacionais e tendo, por exemplo, sido diretor de investigação de novos produtos na Corticeira Amorim. Natural e residente no Porto e com um filho de 11 anos, é igualmente editor-chefe da revista “Journal of Tissue Engineering and Regenerative Medicine”, pertence ao conselho editorial de dezenas de revistas científicas e tem organizado diversas reuniões e simpósios científicos de grande dimensão.

O professor da UMinho já recebeu imensas distinções, como os Jean Leray e George Winter Awards da European Society for Biomaterials (ESB), é um dos muito poucos International Fellows of Biomaterials Science and Engineering, recebeu o Prémio ESAFORM, o 1º Grande Prémio Novo Norte e Novo Norte Inovação da CCDR-N, bem como o Prémio Pfizer para Investigação Clinica, diversos prémios BES Inovação, o Prémio START, a Medalha de Ouro do Município de Guimarães, o Prémio de Mérito Cientifico da UMinho e o doutoramento honoris causa pela Universidade de Granada (Espanha), entre muitas outras. O currículo notável e a sua paixão pelo futebol levou a imprensa a apelidá-lo de o “Mourinho do Ciência”.

Mais informações
Dra. Ariana Santos (relações públicas do Grupo 3B´s da UMinho) – 253510927 /0, ariana.santos@dep.uminho.pt