Oficina CEER
 07-06-2013
INVESTIGAÇÃO DA UMINHO CRIA MATERIAL ANTICANCERÍGENO

Composto microporoso com iões de zinco suprime certos cancros e não afeta células saudáveis.

Uma equipa internacional liderada por Stanislav Ferdov, do Centro de Física da Universidade do Minho, criou um material microporoso com iões de zinco (Zn-ETS-4) que suprime seletivamente certos tipos de cancro, sem efeitos negativos para as células saudáveis. O estudo incluiu investigadores da Academia Búlgara de Ciências, do Centro Nacional de Doenças Infeciosas e Parasitárias (Bulgária) e do CICECO da Universidade de Aveiro.

A pesquisa – que abre um novo campo na luta contra o cancro – teve o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia e acaba de sair na prestigiada revista "RSC Advances". “Na presença de quantidades muito pequenas do novo material, conseguimos a supressão seletiva até 95% de um tipo de célula humana cancerígena ou ‘imortal’ (HeLa) e de uma célula que leva à cirrose em humanos (HepG2)”, explica Stanislav Ferdov.

O trabalho mostra como uma combinação de materiais porosos e iões de metal podem ser usados para a preparação de novos medicamentos na luta contra o cancro. “Aprofundando esta investigação, esperamos aumentar os genótipos de cancro que possam ser inibidos seletivamente e com eficácia”, sublinha. O potencial deste método é, precisamente, poder testar in vivo e in vitro um grande número de materiais microporosos com vários iões metálicos, continua o investigador, considerando que, para os materiais desta classe, este pode ser “um avanço sem precedentes”.

Stanislav Ferdov nasceu há 37 anos em Sófia (Bulgária) e é professor e pós-doutorando na Escola de Ciências da UMinho, em Guimarães. Fez a licenciatura em Geologia, mestrado em Geoquímica, ambos na Universidade de Sófia, e doutoramento em Mineralogia e Cristalografia na Academia Búlgara de Ciências e na Universidade de Viena (Áustria). Já recebeu várias distinções, como o Marie Curie Fellowship, um louvor do grupo “ACS Journals” e dois títulos de Jovem Cientista do Ano na Bulgária.

Fonte: uminho.pt