Oficina CEER
 22-02-2016
UNIVERSIDADE DO MINHO COMPROMETIDA COM A SUSTENTABILIDADE

A UMinho publicou o Relatório de Sustentabilidade, com a análise integrada dos impactos da sua atividade em termos económicos, sociais, ambientais e culturais.

O documento evidencia um claro impacto da UMinho no contexto nacional e, principalmente, na região a nível económico, bem como a redução do impacto ambiental da academia, apesar do crescimento da sua atividade, e a consolidação das atividades associadas à missão desta universidade e do seu reconhecimento nos rankings internacionais. O dossier, relativo a 2014, foi elaborado segundo as linhas orientadoras da Global Reporting Initiative, com o maior nível de abrangência In Accordance – Comprehensive, sendo que a UMinho foi a primeira universidade portuguesa a fazer este relatório segundo as diretrizes G4, a segunda a nível europeu e sexta no mundo

Para o reitor António M. Cunha, “a sustentabilidade continuará a ser assumida como pilar estratégico de uma política institucional capaz garantir a construção do futuro, mas também como contribuição para o projeto educativo”. A estratégia para a sustentabilidade está integrada no Programa de Ação para o Quadriênio 2013/17, tendo como referencial os Estatutos e o Plano Estratégico da UMinho 2020. Sem deixar de assumir o papel relevante no projeto educativo e de investigação, a academia quer também dar um contributo para o desenvolvimento sustentável e a valorização da cidadania.

Este percurso tem passado, por exemplo, por otimizar a gestão do património edificado, através de ações que potenciaram o aumento da eficiência energética e hídrica. Os processos administrativos sofreram também um processo de desmaterialização, que resultou na redução significativa do consumo de papel e de tinteiros, contribuindo ainda para modernizar o sistema de suporte às atividades pedagógicas, científicas e de gestão. Estas medidas permitiram igualmente reduzir a pegada de carbono.

Paralelamente, o Instituto para a Biossustentabilidade (IB-S) e o Laboratório da Paisagem constituem símbolos de um futuro sustentável, já materializados em unidades de produção de conhecimento. O IB-S consiste num instituto para o desenvolvimento da investigação e inovação de ponta em Ciências da Sustentabilidade, com especial foco na combinação entre a Sustentabilidade do ambiente construído e natural. Para suporte desta missão foram construídos dois edifícios, um em Braga e outro em Guimarães, exclusivamente dedicados à investigação. Nascido da parceria entre o Município de Guimarães e a UMinho, o Laboratório da Paisagem desenvolve ações de investigação, sensibilização e educação aplicadas ao ambiente, agricultura e ecologia, em prol da qualidade de vida e da sustentabilidade.

Principais indicadores

Quanto aos principais indicadores do Relatório de Sustentabilidade 2014, realce para a diminuição de 15% nas emissões diretas de CO2. Na desmaterialização documental, desde 2010 reduziu-se em 63,2% a utilização de papel e em 62,8% a quantidade de tinteiros, na sequência da implementação do Sistema de Apoios à Modernização Administrativa. As iniciativas da Agência da UMinho para a Energia e Ambiente (AUMEA) permitiram também a redução de 14% na energia total desde 2010, facto a destacar face ao aumento do número de utilizadores e da área edificada. O total de energia usada em 2014 foi de 72.604 GJ (gigajoules).

Por outro lado, tem sido feito o levantamento da mobilidade em tempo de aulas. Conclui-se que 65% dos alunos usam transportes públicos ou meios não poluentes, sendo 32% os professores que usam meios de mobilidade não poluente. Entretanto, a academia alcançou em 2014 mais de 47 milhões de euros através de fontes de financiamento competitivo. É o valor mais alto na história da instituição, representando uma subida de 13% face a 2013 e de 34% em relação a 2010.

Quanto ao impacto económico, 75 milhões de euros são associados ao efeito dos gastos com docentes e não docentes e 74 milhões ao efeito dos gastos com fornecedores e dos alunos. Em suma, o impacto demonstrativo da importância económica local e nacional da UMinho cifra-se nos 122 milhões de euros, com os fornecedores locais a representarem 47% do total. A atividade da UMinho no emprego contribui expressivamente na prosperidade da região, com um impacto estimado de 4627 postos de trabalho indiretos.

Também a cultura tem um ângulo de análise neste relatório, com especial enfoque na música. A Orquestra da UMinho integra alunos destacados da licenciatura e do mestrado, docentes do Departamento de Música e convidados que interagem com maestros e solistas de renome internacional. Em 2014 contabilizou-se 718 eventos culturais, com uma assistência a rondar as 40.000 pessoas.

Fonte: http://www.nos.uminho.pt/