Oficina CEER
 31-03-2009
1º Forum de Cooperação Euro-Africa em Investigação em TIC

Realizou-se nos dias 25 e 26 de Março de 2009, em Bruxelas, o 1º Forum de Cooperação Euro-Africa em Investigação em TIC, organizado pala Direcção-Geral da Sociedade da Informação e Media da Comissão Europeia, com o apoio da Comissão da União Africana e do projecto EuroAfrica-ICT do EU-FP7.

O Forum, especialmente dirigido para a cooperação com a África Sub-Saariana, foi uma oportunidade de interacção de stakeholders públicos e privados, identificação de possíveis parceiros, informação sobre a parceria União Europeia – União Africana sobre Ciência, TIC e Espaço (a 8ª Parceria) e sobre os programas da Comissão Europeia e da Comissão da União Africana, e oportunidades e resultados de projectos do FP7 com participação africana e de projectos de cooperação EU-Africa.

O Presidente da UMIC – Agência para a Sociedade do Conhecimento, IP, Luis Magalhães, foi um dos keynote speakers do Forum, na sessão que se seguiu à abertura oficial e foi organizada em painel de discussão sobre a cooperação África-UE em TIC, com intervenções que se centraram nos pontos seguintes (ver linhas de intervenção para mais detalhes):

Importância de redes internacionais de conhecimento e da colaboração com diversidade cultural e regional O papel das infraestruturas de e-Ciência (GEANT e AFRICACONNECT, acesso imediato a literatura científica online, repositórios científicos de acesso aberto, etc.) Acesso a banda larga de alto débito como essencial para ultrapassar os novos factores de discriminação digital, a par com políticas para facilitar e intensificar o uso de TIC Importância de organizações em rede com a participação global de multistakeholders na governação da Internet, como o ICANN, a Cimeira Mundial sobre Sociedade da Informação e o Forum de Governação da Internet (IGF), e a desadequação das organizações tradicionais multi-governamentais de estrutura Weberiana da época industrial para estruturas em rede à escala global.

A Sociedade da Informação e a Internet são essencialmente centradas em pessoas, e não em tecnologia, pelo as instituições mais relevantes para o seu governo devem ter um pendor humanista e não tecnocrático.

Como poderiam a União Europeia e África trabalhar em conjunto nos novos fora multistakeholder, como o ICANN e o IGF?.

A centralidade do talento humano e da colaboração intensiva entre pessoas na investigação científica, e a importância de assegurar oportunidades para participação conjunta em projectos de investigação centrados na capacitação de recursos humanos e na interacção entre cientistas de diferentes países e regiões.

O conhecimento como recurso que se partilha e não se perde, antes pelo contrário usualmente aumenta quando há uma relação de transferência de conhecimento, pelo que tem um papel especial nas relações de cooperação de ganho mútuo, além de ser o recurso central da economia baseada no conhecimento.

O papel transversal do conhecimento em TIC para a criação de riqueza e a melhoria da qualidade de vida das pessoas, em todos os sectores (como na transformação da educação, na melhoria dos sistemas de energia, ambiente e transportes, nas condições para melhor saúde e para o envelhecimento activo, na transformação das empresas e do governo, nas novas formas de realizar investigação científica).

A Estratégia Conjunta e o Plano de Acção Africa-UE foram adoptados na Cimeira UE – África que se realizou em Lisboa em 7-9 de Dezembro de 2007. As linhas de acção concreta e os objectivos para o período 2008-2010 foram expressas em oito Parcerias Africa-UE. A Parceria para a Ciência, Sociedade da Informação e Espaço, designada por 8ª Parceria, considera programas relacionados com a capacitação de recursos, a produção de conhecimento e a inovação tecnológica, com o papel das TIC como facilitadoras-chave (key enablers) do crescimento económico e da redução da pobreza, no contexto dos objectivos da Cimeira Mundial para a Sociedade da Informação, nomeadamente com o objectivo de assegurar uma sociedade da informação inclusiva em África, e com o reforço da cooperação baseada em aplicações das tecnologias do espaço.

Também no âmbito da Presidência Portuguesa da União Europeia e a propósito da Cimeira UE – África de 7-9 de Dezembro de 2007, realizou-se também em Lisboa, nos a 6-7 de Dezembro de 2007, a Conferência Espaço para o Desenvolvimento: O Caso da Iniciativa GMES em África, organizada conjuntamente pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, a Agência Espacial Europeia (ESA), a Comissão Europeia, e a iniciativa GMES – Global Monitoring for Environment and Security.

Fonte: www.umic.pt