Oficina CEER
 26-11-2009
UTAD duplica em dois anos a investigação científica

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) duplicou em dois anos a investigação produzida e publicada em revistas científicas internacionais, informou à agência Lusa o vice-reitor para a investigação.

Eduardo Rosa disse que os investigadores da universidade de Vila Real passaram de 153 publicações em revistas científicas internacionais em 2006 para as 310 em 2008.

O responsável espera que em 2009 sejam ultrapassados os 350 artigos, sendo a meta os 400 anuais, salientando que, em termos proporcionais, esta foi a universidade que “mais cresceu em produção científica”.

Na véspera do Dia Nacional da Ciência, que se assinala hoje, a academia inaugurou «Ciência na UTAD», uma exposição com 46 fotografia de António Sá, colaborador da «National Geographic».

De acordo com Eduardo Rosa, uma das apostas da UTAD é o Centro de Química, que integra 25 investigadores e que está a desenvolver trabalhos a nível do tratamento e valorização dos efluentes das indústrias do azeite, vinho, cogumelos, compotas ou enchidos, algumas das actividade económicas mais representativas da região.

O Centro de Química é uma das apostas da Universidade O Centro de Química é uma das apostas da Universidade Juntamente com a empresa de moagem Ceres, a universidade está também a desenvolver um projecto de valorização dos resíduos resultantes da moagem.

Os investigadores da UTAD propõe-se aproveitar esses resíduos para fazer cereais, iogurtes com fibras ou até para alimentação animal, mas querem também inovar as formas de produção e nos produtos.

Aproveitamento de resíduos
Na área dos vinhos, o responsável diz que o trabalho dos investigadores passa por aproveitar os subprodutos ou resíduos para a sua aplicação em, por exemplo, tratamentos dérmicos ou vinoterapia.

Na área agro-alimentar estão a ser feitos estudos para a produção de compotas tradicionais dietéticas, para os azeites aromáticos ou patés de azeitona com elevado poder antioxidantes.

A UTAD faz uma aposta na área da vinha e do vinho, estando a desenvolver dispositivos inteligentes e autónomos, que efectuam a monitorização remota das condições climáticas nas vinhas.

Em 2004, a UTAD investiu um milhão de euros em equipamentos de ponta para os mais diversos centros, e, segundo Eduardo Rosa, cinco por cento dos 30 milhões de euros do seu orçamento anual são destinados à investigação científica.

Fonte:www.cienciahoje.pt