Oficina CEER
 15-04-2010
GULBENKIAN DISTINGUE O ICVS COM APOIO A PROJECTO DE INVESTIGAÇÃO DE BRUNO COSTA. Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho, segunda-feira, 12-04-2010.

O projecto “O transcriptoma da homeoproteína oncogénica HOXA9 em glioblastomas humanos e células precursoras”, da responsabilidade do Doutor Bruno Filipe Marques da Costa, do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da UMinho, irá receber um incentivo financeiro através do Programa de Investigação na Fronteira das Ciências da Vida da Fundação Calouste Gulbenkian.

O Programa de Investigação na Fronteira das Ciências da Vida atribui um incentivo financeiro de 50.000€ para apoiar directamente a realização de projectos de investigação associados a instituições e centros de investigação portugueses, com o objectivo de induzir, nos centros de excelência, a capacidade de apostar e arriscar nos investigadores mais jovens, em áreas de fronteira. Duas Instituições foram distinguidas nesta edição: o Instituto de Medicina Molecular -Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e o Instituto de Investigação em Ciências da Saúde - Universidade do Minho.

O projecto da equipa do ICVS é centrado na HOXA9, uma homeoproteína que actua como factor de transcrição crítico no normal desenvolvimento embrionário e em processos patológicos. Um estudo recente estabeleceu a sobre-expressão do gene HOXA9 como um potencial novo biomarcador de pior prognóstico em doentes com glioblastoma, um tumor cerebral altamente maligno. Apesar da sua importância, os genes que são regulados pela HOXA9 são amplamente desconhecidos. Utilizando uma abordagem metodológica integrada, que combina duas técnicas avançadas de genética molecular ("expression-arrays" e "chromatin immunoprecipitation-sequencing"), este projecto pretende precisamente identificar esses genes-alvo da HOXA9, tanto num contexto normal como tumoral. Esta investigação poderá identificar os mediadores biológicos da HOXA9 em células neuronais precursoras normais, assim como descobrir novos biomarcadores de prognóstico em glioblastoma, que constituem, simultaneamente, importantes contributos para as áreas das ciências biológicas básicas e da medicina aplicada.

Mais informações: http://www.gulbenkian.pt/section63artId555langId1.html

Fonte: http://www.ecsaude.uminho.pt