Oficina CEER
 09-11-2012
GRUPO 3B´S (UMINHO) OBTÉM UM DOS MAIORES FINANCIAMENTOS DE SEMPRE PARA UM PROJETO CIENTÍFICO PORTUGUÊS

Teve início em outubro de 2012 o projeto europeu POLARIS - "Unlocking the research potential of the 3B´s Group, University of Minho, in the Nanomedicine field to strengthen its competitive position at the European level". O projeto POLARIS terá a sua reunião de lançamento nas instalações do Grupo 3B´s, AvePark, nas Caldas das Taipas, Guimarães, no dia 9 de novembro, numa sessão com inicio às 9h, que será aberta ao público e contará com a presença do reitor da Universidade do Minho e representantes da Comissão Europeia.

O POLARIS tem um orçamento global de 3.15 milhões de euros (totalmente atribuído ao grupo 3B´s, membro do Laboratório Associado ICVS/3B´s da Universidade do Minho) e é financiado a 100% pelo 7º Programa Quadro da Comissão Europeia no âmbito do tema Capacidades. O projeto decorrerá durante os próximos três anos, tendo um orçamento superior aos prestigiados projetos Avançados (Advanced Grants) do European Research Council (ERC).

O projeto POLARIS é um projeto FP7 REGPOT. Estes projetos, obtidos em condições muito competitivas, pretendem potenciar a investigação de grupos de investigação de reconhecida excelência que estejam localizados em áreas de convergência. O POLARIS tem como principal objetivo fortalecer a capacidade de investigação do grupo 3B´s (dirigido pelo professor Rui L. Reis) na área da nanomedicina, nomeadamente no domínio da fabricação, modificação e caracterização de materiais à nano-escala, de forma a criar novas estratégias aplicáveis na área biomédica, nomeadamente na libertação controlada de fármacos, engenharia de tecidos e medicina regenerativa, áreas onde o grupo é um dos reconhecidos lideres a nível internacional.

A investigação do projeto será desenvolvida com base em quatro grandes e ambiciosas linhas de investigação: RL1 - Estruturas supramoleculares auto-organizadas - materiais inteligentes; RL2 - Plataformas para estudar e controlar as interações célula-biomaterial utilizando biossensores, bioarrays e estruturas baseadas em microfluídos; RL3 - Biofuncionalização de nanopartículas para libertação controlada de agentes ativos em Nanomedicina; RL4 - Fabricação e caracterização de biomateriais nano-estruturados.

O orçamento aprovado permitirá ainda ao grupo 3B´s: contratar quatro investigadores doutorados, um técnico especialista doutorado e um investigador doutorado para atuar como gestor de propriedade intelectual e de inovação; para além de adquirir equipamento de investigação de topo para executar atividades de nanofabricação (litógrafo de impacto eletrónico) e nanocaracterização (microscópio de força atómica e analisador eletrocinético); bem como organizar vários eventos científicos na área da nanomedicina (dois workshops, um curso e uma conferência, todos internacionais).

Embora o projeto seja um financiamento direto ao grupo 3B´s da Universidade do Minho o POLARIS inclui como colaboradores mais quatro instituições de renome internacional na área da nanomedicina, nomeadamente: Max Planck Institute for Intelligent Systems (Alemanha), Chalmers University (Suécia), University of StrathClyde (Escócia) e University College Dublin (Irlanda). Para além destas, o projeto inclui a empresa Stemmatters (sediada no AvePark, Guimarães) que atua na área biomédica e vai funcionar como um vetor que facilitará e ao mesmo tempo acelerará a transferência de novas tecnologias desenvolvidas no âmbito do POLARIS para o tecido industrial.

Todos estes parceiros irão contribuir para o aumento do conhecimento do grupo 3B´s na área de nanomateriais aplicados à medicina, através da transferência de conhecimento e experiência promovida pelo intercâmbio temporário de recursos humanos. Este tipo de projetos é apenas concedido a grupos ou instituições com um percurso de excelência na suas áreas de investigação. Assim, a aprovação deste financiamento vem também reconhecer, mais uma vez, o contributo do grupo 3B´s para a investigação e desenvolvimento na área de engenharia de tecidos e medicina regenerativa, tanto ao nível europeu como mundial.

Fonte: http://www.uminho.pt